Quando o final do Ensino Médio se aproxima e é hora de se preparar para o vestibular, a dúvida sobre qual curso escolher aparece na cabeça de muitos jovens. Ao sairmos da escola, ainda somos bastante inexperientes, e escolher uma carreira só porque ela “dá dinheiro”, sem levar em consideração as suas preferências, pode te trazer muitas frustrações futuras.

As áreas do conhecimento são divididas em dois grandes grupos, de acordo com seu objeto principal de estudo: Ciências Humanas e Ciências Exatas. Apesar de existirem cursos de graduação que misturam um pouco das duas áreas, de uma maneira geral, elas são bem distintas e exigem aptidões diferentes dos alunos.

Ainda não tem certeza sobre qual área do conhecimento, humanas ou exatas, é a ideal para você? Então confira nossas dicas para facilitar a sua escolha!

Quais as principais diferenças entre humanas e exatas?

As Ciências Exatas englobam campos do conhecimento de expressões quantitativas, predições precisas e métodos rigorosos de análise de hipóteses. É focada na resolução de problemas que requerem o uso da matemática, fornecendo resultados lógicos e precisos.

Já as Ciências Humanas são focadas no estudo do homem e suas características sociais, culturais, migratórias e seu legado histórico. Não costuma utilizar a matemática na resolução de questões, mas sim estatísticas e análises gráficas para a análise de aspectos sociais, históricos, econômicos e políticos de um determinado grupo ou sociedade.

Quais as possibilidades de carreira em cada área?

As Ciências Exatas podem ser ser subdivididas em dois grupos: básica ou aplicada. Na básica, há o desenvolvimento de ferramentas para facilitar o entendimento de aplicações e fenômenos, como os cursos de Matemática, Física e Química. Já nos cursos de Ciências Exatas aplicadas, como Análise de Sistemas, Computação, Engenharia e Estatística, são utilizados modelos já existentes para o desenvolvimento de produtos e processos.

As Ciências Humanas englobam cursos baseados na filosofia e na história, como Filosofia, Antropologia, História, Ciência Política e Direito; cursos baseados nas artes, como Artes Plásticas, Cinema e Artes Cênicas; e cursos baseados na comunicação, como Linguística, Letras, Jornalismo e Publicidade. Há, ainda, cursos que incorporam mais de um desses conceitos básicos, como Geografia, Psicologia, Pedagogia, entre muitos outros. Assim como nas Ciências Exatas, alguns cursos são mais voltados para a pesquisa básica, e outros são mais aplicados.

Existem ainda alguns cursos, como Economia, Estatística e Arquitetura, que têm tanto disciplinas da área de exatas quanto disciplinas da área de humanas. Eles exigem um bom conhecimento das duas áreas.

Quais aptidões são exigidas em cada uma das áreas?

Qualquer aptidão humana pode ser trabalhada e desenvolvida com muito esforço e dedicação. Porém, é fato que algumas pessoas nascem com um dom maior para ingressar em carreiras relacionadas às Ciências Exatas, enquanto outras pendem claramente para os cursos das Ciências Humanas.

As Ciências Exatas exigem que você tenha boa capacidade de raciocínio lógico e matemático, assim como a capacidade de resolução rápida de problemas e questões mais concretas, que necessitam de cálculos e medições.

Por outro lado, as Ciências Humanas são mais focadas na capacidade de análise de questões não quantitativas e mais abstratas, que tenham a ver com as relações e criações exclusivamente humanas, como história, linguagem e interações sociais. É necessário que o estudante tenha boa capacidade de reflexão e interpretação de textos, de memorização e de enxergar os fatos sob mais de um ponto de vista.

Como saber qual são a área e o curso ideais para mim?

Apesar de as disciplinas do Ensino Médio terem caráter diferente daquelas ensinadas na universidade, analisar em quais delas você tem mais facilidade pode ser um bom começo para descobrir qual das duas áreas tem mais a ver com você.

Se você é fera em matemática, química e física, talvez você tenha uma maior aptidão para cursos de Ciências Exatas. Porém, se história, geografia, literatura e língua portuguesa fazem mais a sua cabeça, cursos de Ciências Humanas podem ser o ideal.

Entretanto, mais do que ter facilidade em uma ou outra disciplina na escola, é importante também analisar os seus gostos pessoais. Além de achar certa disciplina fácil, você gosta de estudar sobre o assunto? Tem prazer em realizar os exercícios e práticas propostos pelo professor? Consegue visualizar-se fazendo um curso que englobe essa disciplina em grande parte do tempo? Se a resposta for sim, você pode iniciar uma busca sobre quais cursos de sua área de interesse se encaixam mais em seu perfil.

Se você ainda assim estiver confuso, faça uma lista de suas habilidades. Enumere as atividades quais você tem mais facilidade e prazer em realizar, assim como as que não tem. Às vezes, ter certeza do que não se quer como profissão já é um bom começo.

A partir daí, faça uma lista de carreiras que podem ser ideais para você. Analise as grades curriculares de cada um e converse com alunos e professores. Tire todas as suas dúvidas a respeito do curso em si e de como é o mercado de trabalho. Pesquisar na internet também pode ajudá-lo a ter maior consciência de sua escolha profissional.

Além de se decidir sobre humanas ou exatas, questione-se sobre qual tipo de atividade e vida você pretende ter no futuro. Como você imagina o ambiente de trabalho ideal? Qual é o ritmo e o horário em que você quer trabalhar? O seu objeto profissional é uma paixão? Você conseguirá atuar com isso pelo resto de sua vida, até a aposentadoria?

Essas dicas podem te ajudar bastante na hora de decidir qual das duas grandes áreas do conhecimento, humanas ou exatas, mais se encaixa no seu perfil. Acertar na escolha significa ter mais prazer e vontade na hora de cursar a universidade, diminuindo as chances de desistência, além de garantir que sua futura profissão estará alinhada com os seus propósitos de vida e suas paixões.

Esse artigo foi útil para você? Então assine a nossa newsletter e não perca mais nenhum conteúdo do blog!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário