Ser um arquiteto significa estar apto a projetar todos os espaços que o homem habita, desde locais privados (como casas e edifícios) até áreas públicas (como parques e avenidas). É pelas mãos do arquiteto que a concepção dessas ideias e projetos acontece.

Por se tratar de uma carreira com importante relevância dentro da sociedade e com grande demanda no mercado de trabalho, todos os anos milhares de pessoas procuram a faculdade de Arquitetura e Urbanismo em universidades de todo o país. Para motivá-lo, selecionamos 5 razões para fazer esse curso e começar a sua carreira com o pé direito.

Confira:

O curso oferece uma grade curricular multidisciplinar

O curso de Arquitetura e Urbanismo tem uma duração média de 5 anos, com estágio supervisionado obrigatório nos anos finais da graduação (importante para que o aluno dê os seus primeiros passos dentro do mercado de trabalho), além do trabalho de conclusão de curso (TCC).

Na grade curricular do curso, podemos encontrar uma multidisciplinaridade incrível, com disciplinas das áreas de Exatas e Humanas, como Desenho Técnico, Sistemas Estruturais, Instalações Elétricas e Hidráulicas, Topografia, Conforto Ambiental e Estudos Sociais e Econômicos.

Para dar conta de tantas matérias, o graduando em Arquitetura, ainda em seus primeiros meses na faculdade, precisará adquirir uma série de materiais específicos, como escalímetro, lapiseiras, transferidores, esquadros e suportes para os seus projetos.

Por aí já deu para notar que ter alguma afinidade com matemática e cálculo, além de algumas aspirações para o desenho, são importantes requisitos para que o aluno possa tirar o máximo de proveito do curso. Após formado, ele precisará dar conta de cálculos estruturais, croquis e diversas outras peculiaridades de um bom projeto.

Você desenvolverá valores e habilidades importantes para a sua carreira

Além da parte técnica oferecida ao longo do curso, o aluno terá contato também com alguns valores e poderá desenvolver habilidades que serão extremamente importantes ao longo de sua carreira como arquiteto.

Visão sistêmica, liderança, curiosidade, gestão e empreendedorismo são alguns dos pontos fortes de um bom arquiteto, que certamente serão trabalhados pela universidade para a formação de profissionais capacitados e prontos para atuar em meio às adversidades do mercado de trabalho e das relações humanas.

A faculdade de Arquitetura abre portas para inúmeras atividades

Após formado, o arquiteto tem em mãos o conhecimento e o currículo necessários para desempenhar inúmeras atividades no mercado, adequando-se às demandas da sociedade e trabalhando naquilo que se molde ao seu estilo e habilidades.

Abaixo listamos algumas das áreas de atuação mais procuradas por esses profissionais após formados:

Arquiteto projetista

O trabalho com projetos é ainda o ponto forte da profissão, envolvendo uma parcela majoritária de todos os arquitetos do país.

Atuando na elaboração de plantas para os mais diversos tipos de edificações, desde a parte luminotécnica ou o restauro de estruturas, o arquiteto focado em projetos lida com as necessidades do seu cliente adequadas a quesitos de segurança, condições climáticas, estética e funcionalidade do local.

Esse profissional pode trabalhar desde o início, tirando uma ideia do zero e apresentando-a ao seu cliente, até na realização de acompanhamento pessoal da concepção do seu projeto em uma obra.

Arquiteto urbanista

Como arquiteto urbanista, o profissional desenvolverá projetos de planejamento de espaços urbanos públicos e privados, como avenidas, bairros inteiros e espaços internos de edifícios e indústrias. O objetivo é criar um espaço saudável para as pessoas que ali moram ou trabalham, valorizando o que há de melhor no ambiente sem deixar o quesito estético de fora.

O projeto mais famoso e ambicioso de urbanismo de nosso país é Brasília. Comumente conhecida por suas formas semelhantes a um avião, nossa capital é um bom exemplo de o quanto os conhecimentos urbanísticos de um arquiteto podem se estender a obras de grande porte e complexidade.

Paisagista

O arquiteto especialista em paisagismo irá lidar com projetos focados predominantemente na parte estética de uma paisagem, desde grandes áreas como parques e praças até canteiros de prédios ou fábricas.

Além da estética, o paisagista preocupa-se com questões ambientais e está sempre em busca de opções sustentáveis para os seus projetos, como o aumento de áreas permeáveis de solo para diminuir, por exemplo, enchentes em áreas urbanas. O profissional também conhece e estuda a boa combinação de plantas para os mais diversos ambientes e como harmonizá-las com outros recursos estéticos.

Designer de interiores

Nessa especialidade, o arquiteto trabalha na melhora dos espaços internos, buscando otimizar espaços já definidos e aproveitar da melhor forma o ambiente, proporcionando às pessoas bem-estar, conforto e funcionalidade no uso desses espaços.

Por meio de sua visão sistêmica, o designer de interiores analisa os recursos disponíveis para trabalhar detalhes da decoração, acabamentos, cores, disposição de objetos e design, imprimindo em seu trabalho os gostos e desejos esperados por seus clientes.

Além das áreas citadas, o arquiteto pode também especializar-se em arquitetura cenográfica, arquitetura de games, trabalhar com comunicação visual ou tornar-se docente em alguma instituição de ensino.

O mercado de trabalho está sempre de olho nos bons arquitetos

Por ter como objeto de trabalho todo e qualquer espaço urbano habitado pelo homem, o arquiteto com uma boa formação certamente não encontrará problemas na hora de engajar-se no mercado de trabalho.

Veja as áreas em que a procura por bons profissionais da vivem aquecidos:

Iniciativa pública

Dentro de órgãos públicos, o arquiteto poderá ingressar por meio de concursos públicos, sendo contratado para elaborar, supervisionar ou coordenar projetos do setor público. A remuneração geralmente é previamente estipulada em edital.

Iniciativa privada

Dentro da iniciativa privada, o arquiteto poderá desempenhar inúmeras funções de sua área de formação, como escritórios de empresas de consultoria, construtoras, equipes especializadas em conforto acústico ou em instalações luminotécnicas.

Sua remuneração pode variar de acordo com o seu empregador, com boas chances de progressão na carreira.

Escritório próprio

Para quem deseja abrir o próprio negócio, ser dono do seu tempo e ter a sua própria carteira de clientes, investir em um escritório é uma excelente forma de começar. Isso porque os escritórios de arquitetura são amplamente procurados para a elaboração de projetos, seja para uma ou todas as etapas que envolvem esse processo.

Universidades

O conhecimento precisa ser mediado dentro das instituições para que novos e bons arquitetos sejam formados todos os anos. E por que não ser um professor, lecionando e difundindo o conhecimento adquirido por meio de muito estudo e da sua prática? Esse é o caminho seguido por centenas de arquitetos em todo o país.

É uma área promissora

Com o mundo cada vez mais de olho em alternativas sustentáveis na hora de construir os espaços urbanos, é também maior a demanda por profissionais da área especializando-se nesse assunto. Arquitetos que saibam utilizar os recursos disponíveis sem causar impactos negativos ao meio ambiente certamente saem na frente da concorrência e encontram um mercado de braços abertos para a contratação dos seus serviços.

Agora que você já conhece essas boas razões para apostar na faculdade de Arquitetura e Urbanismo, não fique mais em dúvida na hora do vestibular. Se você gostou deste conteúdo, certamente irá aproveitar também nosso Guia prático de como ser aprovado no vestibular!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário