Pouca gente já refletiu profundamente sobre isso, mas as universidades cumprem um grande papel no âmbito social. Isso, inclusive, está previsto na Constituição brasileira: o artigo 207 diz que “As universidades (…) obedecerão ao princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”. Mas o que isso quer dizer, afinal?

Ensino, pesquisa e extensão constituem os 3 pilares básicos de uma universidade e devem receber igualdade de tratamento por parte das instituições de ensino. As atividades de ensino e pesquisa são as mais conhecidas, já que ocorrem dentro do ambiente acadêmico, com todos os alunos tendo acesso a elas.

E quanto à extensão universitária? Como funciona e de que maneira está inserida nesse contexto? Quem pode realizar essa atividade? Quais são suas vantagens?

Se você quer saber mais sobre extensão universitária, não deixe do conferir o post de hoje!

O que é e como funciona a extensão universitária?

Dá-se o nome de extensão universitária a todas as atividades promovidas por instituições de ensino superior destinadas à interação entre ela e a comunidade na qual está inserida, constituindo uma ponte permanente entre a universidade e a sociedade. Elas ultrapassam o âmbito específico do ambiente acadêmico, sendo abertas ao público não universitário.

O objetivo principal das atividades de extensão é a troca de conhecimentos. Além de levar os conceitos e aprendizados desenvolvidos no ambiente acadêmico à comunidade não universitária, a instituição e, consequentemente, os alunos que participam desse tipo de atividade aprendem as necessidades, anseios, aspirações e saberes da comunidade, socializando e democratizando o conhecimento.

De maneira geral, as universidades têm um departamento específico para gestão das atividades e projetos de extensão universitária. Ali, os alunos podem obter informações sobre tudo que está sendo realizado pela instituição nesse sentido e, inclusive, candidatar-se para participar.

Todos os projetos de extensão universitária são coordenados e acompanhados por professores e profissionais das respectivas áreas do conhecimento a qual se destinam. Qualquer aluno universitário pode participar das atividades de extensão; dependendo do projeto, há, inclusive, a possibilidade de receber uma bolsa-auxílio. Os pré-requisitos para se candidatar variam bastante e dependem de cada projeto.

Entre as atividades de extensão universitária mais comuns estão cursos de formação, capacitação e qualificação abertos ao público, além da elaboração e administração de projetos sociais e ambientais articulados para a comunidade. Entre eles, podemos citar:

  • Cursos, palestras e conferências;

  • Atividades de ensino a distância;

  • Cursos de férias ou de verão;

  • Colônia de férias;

  • Viagens de estudo;

  • Apresentações culturais (teatro, musicais e feiras);

  • Eventos esportivos;

  • Universidades volantes; e

  • Escolas e hospitais móveis.

Todas essas atividades promovem a interação da comunidade em geral com os alunos envolvidos nos projetos, permitindo que eles entendam e fundamentem os aprendizados obtidos em sala de aula na prática.

Outra função bastante importante das atividades de extensão universitária é a elaboração e articulação de políticas públicas, por meio da participação da comunidade em fóruns, consultorias e núcleos específicos de atuação. Essa é uma maneira extremamente eficiente de a universidade cumprir o seu papel, devolvendo à sociedade todo o conhecimento e pesquisa ali gerados de maneira aplicada.

Quais as vantagens de entrar em um projeto de extensão universitária?

É durante as atividades de extensão universitária que os alunos das mais diversas áreas do conhecimento (saúde, engenharia, administração, direito, psicologia, serviço social, entre muitas outras), vão poder praticar o que aprenderam na universidade, consolidando o aprendizado. Por isso, participar de um projeto de extensão permitirá que você ganhe experiência em sua futura profissão, por meio da prestação de serviços à comunidade.

Além disso, você conhecerá, de fato, as reais necessidades sociais relacionadas ao curso que está fazendo, ampliando imensamente seus horizontes. Você saberá exatamente do que as pessoas realmente precisam e no que o seu conhecimento acadêmico e profissional pode ajudar no atendimento a essas necessidades. Essa experiência poderá ser extremamente útil e inspiradora se você souber aproveitá-la da melhor maneira.

Por fim, não se pode deixar de lado o extremo engrandecimento pessoal que alguns projetos de extensão podem proporcionar a você. Ao trabalhar com crianças ou pessoas carentes, por exemplo, você pode descobrir valores que nem desconfiava que tinha. Além disso, a sensação de estar ajudando o próximo e retornando à sociedade tudo o que você aprende na universidade é indescritível.

A experiência em extensão universitária pesa no currículo e na minha futura carreira?

Sim, muito! Um dos principais objetivos da extensão universitária é justamente preparar melhor os profissionais para atenderem às demandas da sociedade, complementando sua formação por meio da possibilidade de união do ensino acadêmico com aplicação prática.

Apesar de não serem obrigatórias, os alunos que têm atividades de extensão em seus currículos costumam ser bastante valorizados na hora de pleitear uma vaga de estágio ou mesmo de emprego, depois de formados. Isso ocorre porque as empresas sabem do valor que a extensão agrega ao profissional, tornando-o mais competente e experiente na área, e melhor capacitado para enxergar e solucionar problemas.

Por tudo isso, a extensão universitária é tão importante. Além de colocar você em contato com as reais necessidades sociais relacionadas à sua futura profissão e permitir que você retorne, de uma maneira prática, seu conhecimento à sociedade, ela também o torna um profissional mais preparado para enfrentar o mercado de trabalho.

Então, não deixe de dar uma passadinha no departamento de extensão universitária da instituição em que você estuda e conferir o que anda acontecendo por lá. Pode haver uma vaguinha de aluno extensionista com a sua cara, somente esperando por você. Além disso, converse com seus professores e pergunte, tire suas dúvidas.

Se não houver nada disponível na sua área, você pode, juntamente com um professor com o qual você tenha afinidade, criar um projeto de extensão e submetê-lo à aprovação. Editais governamentais exclusivos para esse tipo de atividade são abertos periodicamente. Fique de olho nas datas. Se o projeto for bom o suficiente, ele pode ser aprovado e colocado em prática! Já imaginou?

Você gostou desse artigo? Quer ficar por dentro de tudo que rola aqui em nosso blog? Então assine a nossa newsletter e não perca mais nenhum conteúdo!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário