Dentre todas as situações que podem acontecer durante o final do ensino médio e o momento de se preparar para fazer vestibular, ficar em dúvida entre o curso que se quer fazer é uma das mais complicadas — e mais frequentes. Medo e insegurança são alguns dos sentimentos que vêm à tona nesse ponto da vida, pois a sensação é a de que você deve fazer uma escolha que vai definir toda a sua vida. Ninguém quer errar em um momento desses, não é?

A verdade, no entanto, é que muito pode ser feito para que a escolha do curso de graduação seja mais acertada e consciente. Seguindo alguns passos e tendo em mente fatores sobre os quais você talvez ainda não pense muito, decidir o que você vai estudar na faculdade e seguirá fazendo por um bom tempo de vida é uma tarefa que pode se tornar muito menos pesada e complicada. É possível, inclusive, que esse seja um momento de grande reflexão, autoconhecimento e aprendizado.

E aí, quer saber como escolher um curso para ingressar depois de concluir os anos de colégio? Confira aqui algumas dicas valiosas que com certeza serão úteis em sua caminhada!

Olhe para dentro de si

De nada adianta ter mil ideias de cursos que você gostaria de fazer se, no fundo, você não tem uma noção muito boa de suas características. Para escolher uma boa graduação, ela deve se encaixar no seu perfil, e você precisa descobrir qual ele é. A boa notícia é que você pode tomar algumas atitudes que podem ajudar.

Que tal listar suas qualidades e habilidades? Procure pensar no que você gosta de fazer e no que você sabe fazer. Um ótimo exercício para isso é, inclusive, pensar nas disciplinas que você cursa no colégio mesmo. Você se dá melhor nas matérias deHumanas, Exatas ou Biológicas? Ou se interessa mais por Artes? Essas são questões que, quando respondidas, podem te ajudar a traçar sua personalidade e a ter uma melhor noção de qual caminho você deveria seguir.

Busque muitas referências

Se a dúvida ainda persiste, procurar por profissionais já formados da área e por pessoas que ainda estão na faculdade e ainda não concluíram o curso é uma boa forma de entender se ele é mesmo aquilo que você está procurando. Isso é muito bom para fazer com que você entenda o exercício da profissão, o caminho para chegar até ela e, além disso, para criar expectativas realistas — afinal, não seria legal chegar na universidade e se decepcionar com o curso escolhido.

Os profissionais formados te mostrarão como é a rotina do trabalho de quem já se formou e está encarando de frente o mercado de trabalho. Por isso, é importante falar com pessoas que seguiram caminhos diferentes dentro de uma mesma graduação. Os estudantes, por outro lado, te mostrarão a rotina do curso, a grade curricular, a carga de estudos. Vale muito a pena correr atrás desse tipo de informação!

Procure ajuda profissional

Muitos estudantes ainda não recorrem aos testes vocacionais, mas não sabem como estão perdendo valiosas lições e uma grande ajuda para trilhar o caminho até a vida profissional. Se você está passando por muitas dificuldades ao tentar escolher o curso, não tenha receio em pedir ajuda.

Um teste vocacional apropriado com um bom psicólogo fará com que você tenha uma análise bem mais completa e complexa de seu perfil e personalidade, além de mostrar claramente com o que essas características descobertas se encaixam mais. Não deixe de considerar essa opção!

Fique de olho na grade do curso

Mesmo tendo conversado com estudantes da graduação que faz parte do seu leque de opções, é interessante que você procure qual costuma ser a grade do curso em questão. Essa é outra informação que fará com que você crie uma visão mais realista do que serão as aulas, laboratórios, provas, trabalhos, etc. Mas o que deve ser analisado?

Com a grade em mãos e bem observada, tente perceber se o curso oferecido é extremamente teórico ou tem também um lado prático. Cursos sem muita prática podem não te preparar tão bem para o mercado de trabalho quanto é possível, e isso pode te deixar perdido em um futuro não tão distante. Então, confira tudo isso com cuidado.

Mire em sua felicidade e não tenha medo de errar

É claro que devemos levar em consideração a remuneração média de um profissional formado no curso que desejamos fazer, além de pesquisar e dar uma olhada no salário inicial, por exemplo. No entanto, este não deve ser — jamais! — o foco do seu esforço e nem o motivo que o deixa em dúvida na hora de escolher: muitas pessoas tentarão se intrometer, mas essa decisão é sua e de mais ninguém. É importante ter em mente, em primeiro lugar, o quão feliz você ficará ao se formar.

Como já comentamos, o medo de errar é uma das bases para a dúvida de praticamente todos os estudantes que estão passando pelo momento de escolher um curso, mas a verdade é que não é necessário acertar nada de primeira! Pessoas e opiniões mudam, e é natural que talvez você queria mudar o curso também. Além disso, com um mercado cada vez mais dinâmico, é muito comum que você possa seguir caminhos diferentes em sua vida profissional daqueles imaginados quando você ingressou na faculdade. Por isso, não deixe essa insegurança te impedir de nada.

Não deixe de considerar a instituição de ensino

Com o curso escolhido, agora é o momento de pensar para qual universidade você prestará vestibular, e essa é uma tarefa que merece atenção equivalente. Dar uma olhada na pontuação do curso em cada faculdade no site do MEC é essencial — dessa maneira, você terá uma fonte de avaliação oficial e bastante segura.

A busca por referências e a grade curricular aqui também devem continuar. Converse com estudantes do mesmo curso, mas de diferentes instituições, e analise também se o lado teórico e o prático são equilibrados e levados em consideração na hora da aula. Vai ficar até difícil de errar seguindo todos esses passos!

Viu só como escolher um curso não precisa ser um bicho de sete cabeças? Nós temos certeza de que essas dicas te ajudarão. E para conferir outras informações importantes nesse momento da sua vida, não deixe de assinar nossa newsletter!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário