Empreender está em alta. A geração Y, extremamente hiperconectada, hiperativa e com a criatividade super aflorada, está aos poucos mudando os conceitos das relações de trabalho iniciadas e consolidadas desde a Revolução Industrial, no século XIX. Isso faz com que muitas pessoas comecem a sonhar em se libertar do conceito de serem bons empregados de uma grande companhia e iniciar o seu próprio negócio cada vez mais jovens. E muitos desses jovens empreendedores andam questionando a necessidade de cursar uma graduação para tornarem-se bem-sucedidos em seus negócios.

Porém, é necessário ter a noção de que ser um empreendedor ou microempreendedor não é somente ter uma boa ideia e colocá-la em prática. Ter um mindset empreendedor é o mais importante. E o que significa isso? É saber localizar e aproveitar oportunidades, gostar de assumir riscos, pensar de maneira inovadora e agir para fazer as coisas acontecerem, transformando ideias em ação. Na verdade, no atual cenário da economia mundial, todas as pessoas precisam desenvolver um mindset empreendedor para sobreviver ao mercado de trabalho.

Todas essas características e ferramentas de um bom empreendedor podem ser aprendidas de maneira mais fácil e prática durante a graduação, embora ela seja subestimada por alguns. Frequentar uma faculdade faz com que você, além de aprender conceitos e teorias superimportantes, desenvolva sua personalidade, visão empreendedora e inteligência emocional, aumente seu networking e desenvolva sua capacidade de relacionamento interpessoal. Todas essas características são pontos-chave para quem deseja ser um empreendedor bem-sucedido.

Você tem vontade de se tornar um microempreendedor? Confira nosso artigo de hoje e saiba como a universidade pode te ajudar a trilhar esse caminho!

Preparação teórica e prática

Principalmente se você cursa alguma graduação voltada à Gestão ou Administração, a faculdade pode te fornecer uma forte base teórica para aplicar em seu microempreendimento. Por mais que a criatividade e a inovação estejam em alta e sejam muito valorizadas, certos conceitos de negócios e planejamento ainda são muito necessários para ter sucesso nesse caminho. E mesmo que você não curse uma graduação na área do empreendedorismo, algumas faculdades permitem que você se matricule como aluno especial ou ouvinte em disciplinas voltadas a essa área.

Além disso, muitas disciplinas propõem o desenvolvimento de trabalhos práticos relacionados a empreendedorismo. Se você já tem uma ideia de negócio pronta pode, inclusive, utilizá-la em suas tarefas. Em uma disciplina de marketing, por exemplo, se você tem que montar uma peça publicitária ou um logo, por que não criar algo para o microempreendimento que você planeja? Além de poupar trabalho futuramente, você receberá críticas e feedbacks dos colegas e professores, o que pode contribuir enormemente para o aperfeiçoamento e amadurecimento de sua ideia.

Aconselhamento com mentores

O mentoring — ou mentoria, em tradução livre — é um conceito cada vez mais difundido nas universidades e faculdades e pode te ajudar muito na hora de tornar-se um microempreendedor. Mas do que se trata essa prática?

Em linhas gerais, ter um ou mais mentores significa contar com alguém mais experiente do que você para te aconselhar sobre negócios ou sua carreira. Existem pessoas especializadas em ser mentores, mas a grande maioria das relações mentor-mentorado se consolida espontaneamente, e pode ser, tranquilamente, estabelecida com um professor de sua faculdade.

Conversar, pedir conselhos profissionais e expor suas ideias a professores que comprovadamente têm experiência em empreendedorismo pode ser extremamente útil e esclarecedor. Busque aqueles com quem você tem mais afinidade e admiração, pois a mentoria tem que acontecer de livre e espontânea vontade, para que funcione bem.

Expansão do networking

Um dos pontos principais para se tornar um microempreendedor de sucesso é contar com bom networking, isto é, ter à sua disposição uma vasta e sólida rede de contatos e relacionamentos que são bons para seu desenvolvimento pessoal e profissional e úteis para o seu negócio. E que lugar é mais propício para conhecer pessoas e expandir contatos do que uma faculdade?

Durante sua graduação você conhecerá inúmeras pessoas que podem te ajudar em seu caminho: colegas, professores, palestrantes e especialistas nas mais variadas áreas do conhecimento. Você já parou para pensar que o sócio perfeito para seu empreendimento pode ser aquele seu colega de sala, por exemplo? Não desperdice essa oportunidade de conhecer pessoas e ampliar sua capacidade de relacionamento interpessoal.

Envolvimento em projetos experimentais

Muitas faculdades já se deram conta da grande expansão do empreendedorismo entre seus alunos e, por isso, desenvolvem muitos projetos experimentais nos quais você pode se envolver. Empresas juniores, grupos de discussão sobre empreendedorismo e mindset empreendedor e outras iniciativas podem ser extremamente úteis para que você adquira mais experiência antes de se lançar como microempreendedor.

Além disso, seu TCC (trabalho de conclusão de curso) pode se tornar uma excelente oportunidade para testar sua ideia de negócio. Por que não desenvolver um trabalho voltado para sua ideia empreendedora? Assim, você poderá pesquisar o mercado para seu produto, saber quais são seus potenciais consumidores, descobrir existência de possíveis concorrentes e quais estratégias eles utilizam para vender, elaborar estratégias de marketing, montar um plano de negócios…. As possibilidades de pesquisa e aprofundamento da sua ideia são muitas. Além disso, você contará com a orientação de um professor com experiência na área e, na hora da defesa de seu projeto, receberá dicas, críticas e sugestões da banca examinadora, o que pode ser extremamente útil para você.

Tornar-se um microempreendedor bem-sucedido não é tarefa fácil. É necessário muita disciplina, empenho, dedicação e equilíbrio emocional para assumir os riscos inevitáveis nessa área. Ter metas e planos objetivos e bem delineados também é essencial para começar qualquer negócio. Porém, você não precisa esperar até o fim de sua graduação (ou mesmo desistir dela!) para começar a montar seu próprio negócio.

Utilize seu período como graduando para aprender, desenvolver sus habilidades, buscar ferramentas e relacionar-se com pessoas que podem te ajudar nessa empreitada de tornar-se um microempreendedor. Você certamente só tem a ganhar com isso!

Você já é ou pensa em ser um microempreendedor? Como a faculdade te ajudou ou tem te ajudado nessa empreitada? Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários e ajude a enriquecer essa discussão!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário