Você está se formando ou é recém-formado e está pensando no que vai fazer para dar início à sua carreira profissional? Enquanto muitos optam por trabalhar em uma empresa e ter carteira assinada, outros preferem arriscar e abrir o negócio próprio.

Decidir abrir uma empresa é cada vez mais comum, mas requer planejamento e dedicação. Neste post, vamos abordar qual são os custos desse processo, mostrando que, apesar das possíveis dificuldades, vale a pena investir no seu sonho.

Confira:

Como abrir uma empresa

Ao optar por começar um negócio próprio, o empreendedor encontra diversas dificuldades. É preciso pensar em qual ramo atuar, como conseguir investimentos, fazer uma pesquisa de mercado, definir um plano de negócios, juntar os documentos necessários etc. Antes de tudo isso, é preciso delimitar os passos muito bem, evitando transtornos ao longo do processo e aplicando os recursos disponíveis de forma correta.

Nessa primeira etapa, também é importante compreender que o ato de abrir uma empresa traz custos; por isso, o empreendedor precisará de uma planilha de gastos sempre atualizada. Além disso, é fundamental saber onde e como gastar seu dinheiro, economizando o máximo que conseguir.

Quais são os custos de abrir uma empresa

A seguir, serão listadas algumas fontes de custos no processo de abertura de uma empresa. Estes são custos gerais, ou seja, aplicáveis à maioria dos negócios. No entanto, para ter uma noção mais próxima do real, você precisa adequar os itens a seguir à sua realidade:

Documentação

A abertura de qualquer empresa envolverá a reunião de documentos que, muitas vezes, são pagos. Alguns dos documentos que podem ser solicitados ao empreendedor são:

  • Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais (DARE);

  • Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF);

  • certificado digital;

  • documentos da Junta Comercial do município;

  • entre outros.

Outra questão que deve ser considerada é que, dependendo do tipo de empresa que está sendo aberta, o valor também pode ser modificado. No caso do Microempreendedor Individual (MEI), escolha de milhões de pessoas devido à facilidade, não há necessidade de fazer pagamentos na hora de abrir a empresa, mas é cobrada uma taxa mensal, que varia conforme a categoria do negócio.

Já no caso de sociedades, Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada (EIRELIs) e Empresários Individuais (EIs), o valor varia conforme o estado e o município. No entanto, o Sebrae de São Paulo informa que o custo varia entre R$ 700 e R$ 2 mil.

Tributação

Ao abrir uma empresa, é preciso optar pelo regime tributário. Atualmente, há 3 possibilidades: Lucro Presumido, Lucro Real e Simples Nacional. O Simples Nacional é o regime de tributação mais procurado porque é o mais barato; por isso, compensa para pequenos empreendedores. No entanto, o Simples Nacional restringe as atividades que podem adotar esse regime e há um limite de faturamento, de R$ 3,6 milhões.

O Lucro Real é o mais complexo, sendo que o Imposto de Renda incide conforme o lucro contábil. O Lucro Presumido é mais simples e o cálculo é feito de acordo com percentuais aplicados considerando a Receita Operacional Bruta (ROB).

Em geral, os custos fiscais ficam em uma média de R$ 2.038,00, mas, conforme destacado, esse valor pode variar bastante considerando o estado em que a empresa está localizada.

Investimento

Toda empresa, ao ser aberta, requer um investimento inicial. Esse montante é definido pelo empreendedor e deve considerar diversos elementos, como necessidade de adquirir equipamentos, locação de espaço para a empresa (mesmo para uma loja virtual, por exemplo, é necessário ter um espaço para estoque), mobília, obtenção de softwares e outros recursos.

Como esses são custos que podem variar conforme a empresa, é importante que o empreendedor faça uma lista de tudo o que é necessário. Na hora da compra, devem ser feitos orçamentos para adquirir os produtos e softwares que ofereçam o melhor custo-benefício.

Além disso, é importante se lembrar de que, ao locar o imóvel, é preciso verificar se ele tem Habite-se, se pode servir para uma empresa, e emitir o alvará de funcionamento, que custa aproximadamente R$ 100.

Registro de marca

Uma nova empresa precisa ter um nome e, invariavelmente, passar pelo registro de marca. Essa atitude é especialmente importante quando é realizado um planejamento de marketing. No entanto, é mais um custo para abrir uma empresa.

Recomenda-se que a primeira atitude nesse caso seja pesquisar se o nome está disponível. A consulta pode chegar a custar R$ 170. Além disso, o processo de registro de marca tem valor que pode chegar a R$ 1.115, garantindo a exclusividade do nome pelo prazo de 10 anos.

Pró-labore

Em outras palavras, esse é o salário que será recebido pelo dono da empresa. Se você pensa em trabalhar como freelancer ou autônomo, qualquer renda que entra é sinônimo de salário. Mas, para que a empresa cresça, é preciso definir um salário, que é entendido como um gasto mensal.

O pró-labore deve ser definido de acordo com a necessidade do empreendedor e também considerando a saúde financeira da empresa. Dependendo do caso, não é necessário definir o pró-labore no primeiro momento, mas essa é uma ideia que deve ser considerada.

Colaboradores

Além do pró-labore, também é preciso pensar na folha de pagamento dos colaboradores. Pode ser que, no início, sua empresa não conte com a ajuda de colaboradores, mas, caso a demanda aumente, isso é imprescindível. Portanto, é preciso definir o salário dos colaboradores e contratar pessoas que possam suprir deficiências atuais da organização.

Outras questões que precisam ser definidas ao contratar colaboradores é a sazonalidade pela qual o negócio passa, qual deverá ser sua carga horária etc. É importante destacar que esse é um investimento de longo prazo, mas que vale a pena.

Assim, a abertura de uma empresa envolve uma série de custos, mas que podem ser reduzidos com um planejamento adequado do empreendedor e a ajuda de pessoas certas, como um contador, por exemplo. Apesar de esse profissional configurar um gasto extra, ele pode indicar exatamente o que deve ser realizado, economizando a médio e longo prazos.

Agora que você já sabe tudo sobre os custos para abrir uma empresa, confira também se é necessário um diploma para começar seu próprio negócio!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário