Muito se fala sobre o futuro do Jornalismo, tão incerto por conta da difusão de notícias pela internet e redes sociais, na maior parte gratuitamente, e pela falta de um modelo econômico sustentável. Mas, para muitos, este é o melhor momento da profissão, com inúmeras oportunidades e melhores condições de trabalho.

A ideia de que a internet e as redes sociais podem estar destruindo a produção da informação de qualidade vem encontrando espaço quando olhamos para demissões e fechamento de veículos.

O que está acontecendo, na verdade, é uma redistribuição dos jornalistas nos mais diversos meios de comunicação e nas formas de se fazer Jornalismo. A tecnologia abriu e continua abrindo inúmeras possibilidades para quem está pensando em estudar Jornalismo.

Veja estes oito motivos para acreditar no futuro do Jornalismo!

1. Necessidade de a sociedade se informar

Este é o princípio básico do Jornalismo. Informar, esclarecer, ser o interlocutor entre o fato e o cidadão. A informação é um direito fundamental da sociedade, pois somente bem municiada ela é capaz de tomar decisões, definir rumos da vida em comum e se planejar. Isso somente o Jornalismo faz.

Hoje, uma expressão que vem sem muito divulgada em diversos estudos e análises é o “deserto de notícias”, “news desert” na expressão em inglês. Basicamente, trata de cidades ou comunidades inteiras que ficam, de repente, sem um canal de informação.

O novo Jornalismo inverte essa lógica. Cada vez mais o meio digital ocupa espaço e vai eliminando esses locais onde a população não tem chance de ser bem informada.

2. Ajudar a comunidade

O Jornalismo comunitário é uma das grandes tendências atuais e que vai ocupando espaço na sociedade. Esse segmento é um avanço em relação ao Jornalismo que é feito de forma geral pelos veículos de uma cidade, ao focar em determinada comunidade e nos fatos que atingem e interessam diretamente a esse grupo de pessoas.

Esse é um modo de produzir conteúdo focado, aquele que vai fazer a diferença para o leitor. Esse Jornalismo local trata de coisas cotidianas e que nem sempre são temas de reportagens dos grandes veículos.

Assuntos como infraestrutura dos bairros, creches e serviços fazem com que o Jornalismo seja uma ferramenta de grande utilidade para a comunidade.

3. Vigiar e fiscalizar o poder público

Essa é outra função importante do Jornalismo, da qual nenhuma sociedade pode abrir mão. São os repórteres que devem vigiar o poder público, informar o cidadão sobre o que é feito com o dinheiro dos impostos, se ele está sendo usado dentro das leis ou se há corrupção.

O Jornalismo por vezes é comparado ao Grande Irmão, aquele que tudo vê, quando se refere ao mundo político. Pois casos de corrupção, desvios e mau uso do dinheiro público e outras ilegalidades são investigados e divulgados pelos jornalistas.

Essa função faz com que o futuro do Jornalismo seja cada vez mais promissor, por conta das leis de acesso à informação, que permitem contato com dados antes considerados sigilosos.

Uma sociedade saudável e democrática necessita de informação transparente, e quem vai fornecê-la é o jornalista.

4. Acompanhar grandes fatos

O Jornalismo sempre carregou um charme extra, ao permitir que profissionais tenham contato com grandes personalidades e vivenciem fatos determinantes da história. Quem se embrenha na profissão terá condições de passar por essas situações.

São os jornalistas que vão relatar mudanças de regimes, vitórias, eleições, guerras e tragédias. Também vão entrevistar artistas, pensadores, grandes políticos, gente que tem algo importante a dizer.

A profissão permite essa proximidade com o fato e faz do jornalista os olhos do leitor.

5. Participar do futuro do Jornalismo

Muitos jornais fecharam em 2016. Mas, ao mesmo tempo, outros tantos canais de comunicação surgiram no meio digital. Esse fenômeno acontece no Brasil e no mundo.

O Jornalismo passa por uma transformação, uma mudança de plataforma, do impresso para o digital. Ainda existem grandes veículos de comunicação no formato físico, bem estruturados e que devem ter vida longa.

Mas o meio digital está experimentando um boom de novos sites, todos com propostas inovadoras ou segmentadas, mas sempre baseadas no Jornalismo.

Há desde sites dedicados a notícias sobre o meio jurídico, casos do Jota e do Justificando, a agências checadoras de fatos (Lupa e Aos Fatos). Sportlight e ChuteiraFC cobrem esporte, Fluxo se dedica ao debate político, Ponte foca nos direitos humanos e violência nas cidades e Nexo e Intercept Brasil miram no noticiário geral e mais analítico.

Ou seja, estudar Jornalismo, hoje, é fazer parte de uma revolução que está começando e já começa a mostrar a que veio.

6. Combater a desinformação

A eleição de Donald Trump à Presidência dos Estados Unidos abriu um debate fundamental para o Jornalismo em tempos de redes sociais: a divulgação de notícias falsas.

Segundo estudos de analistas da área, as notícias falsas geraram mais tráfego na internet do que o material produzido por sites verdadeiros.

Em reação, Facebook e Google estudam medidas para combater o compartilhamento de notícias baseadas em mentiras.

O jornalista é um ator fundamental nessa trama. Afinal, cabe a esse profissional apurar corretamente os fatos e apresentar ao leitor a verdade mais próxima da realidade.

Quanto mais jornalistas estiverem envolvidos nesse processo, seja na checagem, na produção ou mesmo no comentário sobre um post falso, mais pessoas não serão afetadas por uma notícia falsa.

7. Conhecer realidades e culturas diferentes

A história de que o jornalista não tem rotina é, em parte, verdade. Você tem que estar preparado para escrever sobre qualquer assunto, ter uma boa formação de conhecimentos gerais e conseguir se familiarizar com temas desconhecidos rapidamente.

É, certamente, uma experiência enriquecedora. Conhecer realidades diferentes, culturas e tradições que não fazem parte do seu círculo, isso tudo faz com que o profissional cresça em todos os sentidos.

8. Atuação em diversas áreas

Assessorias, jornalismo independente, fotografia, vídeos. A tecnologia permite uma infinidade de opções para quem vai entrar na carreira.

Hoje, se você tem uma área de interesse, pode abrir um blog, uma conta no Instagram ou Snap e começar a produzir conteúdo próprio. Plataformas como Medium permitem que o autor escreva textos e reportagens longas, sem estar ligado a nenhum veículo.

O YouTube e o Vimeo abrem inúmeras oportunidades para criação de canais informativos ou opinativos.

Hoje, o jornalista tem o meio de produção em suas mãos, inclusive com chances de ganhar dinheiro por meio desses canais.

Apesar da crise, há muito para se acreditar no futuro do Jornalismo. Está pronto para entrar nesse universo? Vem falar com a gente!

Guia completo para planejar e organizar a vida de universitário